MULHERES LUZ- O FORTALECIMENTO DA PRODUÇÃO DE FOTÓGRAFAS E MULHERES DA IMAGEM NO BRASIL

Plataforma reúne ensaios e portfólios de mulheres que fazem parte da cadeia produtiva da fotografia no Brasil


Texto: Everyday Brasil

Fotos: créditos nas imagens


A Mesma Luta - Rosa Gauditano

Jogar luz sobre a participação e importância histórica da mulher na fotografia é uma necessidade, uma vez que, como em muitas outras atividades, a presença feminina ocupa um lugar ainda estigmatizado, em um ambiente onde os homens sempre foram, indiscutivelmente, mais reconhecidos.


Ressignificar o lugar da mulher na história da fotografia destacando sua produção nas mais diversas atuações e abordagens é uma das principais propostas da plataforma Mulheres Luz.


O projeto, idealizado pela editora, curadora e produtora Mônica Maia em parceria com a Frida Produção Cultural, lançado no dia 8 de março deste ano, nasce com o objetivo de visibilizar, difundir e democratizar o acesso aos conteúdos produzidos por fotógrafas e mulheres da imagem no Brasil, reunindo ensaios e portfólios voltados a diversos temas, tempos e territórios, além de veicular pesquisas e publicações culturais.



Histórias do Meu Quintal - Isis Medeiros

A proposta surgiu diante da dificuldade de encontrar publicações e referências sobre as produções das mulheres durante uma pesquisa sobre fotógrafas brasileiras. "Me vi diante de um sentimento urgente de criar novos espaços coletivos de fortalecimento da produção de histórias contadas por fotógrafas e mulheres da imagem, cis, transgênero e não-binária, e assim assegurar narrativas e vozes diversas que garantam representatividade, assim como o debate e reflexão sobre temas e as escolhas que promovam mudanças sociais e estruturais", explica Mônica Maia.


O objetivo da plataforma é atuar como um ambiente de pesquisa e divulgação de trabalhos produzidos por fotógrafas, sejam ensaios documentais, jornalísticos e artísticos, além de conteúdos de pesquisadoras, antropólogas, educadoras e produtoras especializadas em fotografia, com foco na criação de uma rede de profissionais para que as mulheres possam ser encontradas e contratadas nas suas mais diversas atividades relacionadas ao fazer e pensar fotografia.



Música no Sangue - Grasi Barbaresco

Maíra Gamarra, curadora no Mira Latina Lab., e também parceira do projeto, acredita que a plataforma recém inaugurada é um marco sem precedentes no país, e que ainda tem muito a crescer e contribuir à fotografia brasileira. "Mulheres Luz nasce inspirado em outras organizações similares existentes em demais países, contribuindo para estimular uma rede de mulheres da e na fotografia que vêm crescendo e se fortalecendo cada vez mais nos últimos anos. Mas o Mulheres Luz se destaca por ser uma iniciativa que possui uma visão mais ampla, abarca diversas ações paralelas que vão além da plataforma, que por si só já é extremamente importante, e se somam nesse esforço por visibilizar e potencializar os trabalhos de mulheres da imagem", comenta.



Cinderela - Ana Carolina Fernandes


Andorinhas - Nana Moraes

Em três meses de existência, o projeto já conta com mais de cem participantes, entre elas fotógrafas, produtoras culturais, pesquisadoras, jornalistas, editoras e curadoras, das mais diversas regiões do país. A ideia é ser uma rede em constante construção, abrigando profissionais da imagem em atividade atualmente. "Acredito que a construção de uma rede de afeto e acolhimento em relações mediadas por imagens criadas pela perspectiva das mulheres fortalece futuras gerações, pesquisas históricas e contemporâneas", reflete Mônica.


Entre as Mulheres Luz estão profissionais cujas trajetórias são referência na fotografia brasileira, assim como jovens e potentes fotógrafas com trabalhos relevantes dentro do cenário atual, algumas delas são também colaboradoras regulares do Everyday Brasil, como Ana Carolina Fernandes, Melissa Warwick e Grasi Barbaresco.


Ana Carolina destaca a falta de representatividade das mulheres no ambiente da fotografia e a necessidade de que isso seja reparado: "As estatísticas dizem que as fotógrafas representam não mais do que 30% de presença em festivais, galerias e prêmios, apesar de terem tido uma importância fundamental desde a origem da fotografia. Mulheres Luz veio para fortalecer essa luta - sim, luta - somos um país ( muito ) machista e a fotografia brasileira não é diferente. É, ainda, um universo dominado por homens. A plataforma surge para somar na mudança de estruturas estabelecidas, criando uma espiral crescente de cada vez mais mulheres fotografando, sendo influenciadas e influenciando gerações futuras, e ocupando espaços em festivais, livros, prêmios, galerias, muros e onde mais quiserem."


"A plataforma Mulheres Luz é um universo inovador, democrático e imprescindível onde fotógrafas e mulheres da imagem do Brasil têm a oportunidade de dar visibilidade aos seus trabalhos através de exposições, diálogos e profusas conexões. Honrada em fazer parte desse grandioso projeto", afirma Melissa, fotógrafa baseada em Aracaju.


Grasi também comemora a iniciativa projeto: "Para mim, a plataforma veio para expandir o espaço das narrativas visuais e incluir uma pluralidade de vozes femininas com imagens e projetos extremamente potentes.

É uma honra participar ao lado de tantas fotógrafas que sempre foram inspirações para o meu trabalho, como por exemplo, a Ana Carolina Fernandes."



É Tudo Fachada - Melissa Warwick


À Margem - Gisele Martins

Uma primeira convocatória foi realizada na inauguração da plataforma e recebeu 463 inscrições vindas dos mais diversos lugares do Brasil. No início do mês foi aberta uma chamada para novas inscrições, os trabalhos devem ser enviados até o dia 30 de junho.

O cadastro pode ser feito através deste link: https://www.mulheresluz.com.br/faca-parte/ .


Ao lado de Mônica, o projeto é desenvolvido pelas editoras e produtoras Ivana Debértolis e Carla Romero, com acompanhamento da jornalista, crítica de fotografia e docente da graduação e do PPGCOM da Faculdade Cásper Libero, Simonetta Persichetti, e design e assessoria de comunicação de Fernanda Masini.


“Participar como consultora do projeto Mulheres Luz é incrível e desafiador! Pensar uma plataforma que possa mapear por onde andam mulheres que de alguma forma ajudam a construir e, mais, discutir uma imagem de Brasil é fundamental e necessário.

Como sempre digo, as mulheres sempre estiveram presentes na história da fotografia desde o século XIX. O problema é que elas foram colocadas de lado, e agora se colocam com toda sua força e potência", destaca Simonetta.


Vida longa às Mulheres Luz, um movimento necessário e urgente para inspirar e encorajar mulheres da imagem a ocuparem espaços no mercado de trabalho.



Raízes Mapas - Helen Salomão


Alice - Gabriela Matoso


No País das Maravilhas - uma fábula fotográfica - Paula Cinquetti


As Marias - Tina Gomes




Para saber mais sobre Mulheres Luz:

https://www.mulheresluz.com.br/

https://www.instagram.com/mulheresluz_fotografia/